Stefan Horochovec
Possuo 20 anos de experiência no desenvolvimento de soluções web. Nos últimos 10 anos tenho atuado como Arquiteto de Soluções auxiliando empresas a desenvolver projetos para nuvem com um grande foco em Java EE como tecnologia voltada ao backend, Angular e React voltada ao frontend e Flutter voltado ao desenvolvimento móvel. Com relação a plataformas na nuvem, atuo com projetos consumindo serviços da AWS, Azure, e GCP.

Reflexão após 2 meses de trabalho home office

Olá pessoal,

Esse post é um pouco diferente dos que eu costumo postar aqui no meu blog, quero ocupar esse espaço hoje para falar um pouco sobre minha experiência de estar trabalhando 100% home office nos últimos dois meses…

A dois meses atrás decidi sair do meu emprego na CISS, aonde eu atuava como Especialista em Arquitetura de Solução, em um departamento chamado Fábrica de Inovação.

Eu trabalhava na maior parte do tempo em um projeto extremamente inovador, utilizando conceitos que estão bastante na moda nos dias de hoje, mas que em Agosto de 2014, nós havíamos definido como a arquitetura ideal do nosso projeto.

A grosso modo, posso dizer que trabalhávamos desenvolvendo uma solução SaaS, com opções de execução em PaaS ou on-primese, em cima da plataforma Java EE 7, utilizando o conceito de micro-services, em ambientes de alta disponibilidade e com AngularJS + Material Design como front-end, ou seja, tecnologias que boa parte dos desenvolvedores gostariam de estar envolvidos pois são extremamente enriquecedoras em seus respectivos cv’s.

No decorrer deste percurso, fui contactado por uma multinacional para iniciar o desenvolvimento de diversas soluções na área móvel. Apesar de passar a maior parte do meu tempo desenvolvendo soluções web, a alguns anos venho trabalhando com a plataforma móvel. Fui instrutor do curso de Android SDK na RIACycle, palestrante em diversos eventos sobre desenvolvimento para plataforma móvel (Android Conference Brasil, SouDev Conference, FlexMania), mantenedor do Adobe User Group — Phonegap, BlackBerry Elite Member, e Google Developer Group Organizer.

Hoje trabalhamos com o desenvolvimento de algumas soluções híbridas, utilizando fortemente o conceito de data-driven e offline first, que são os conceitos que estão mais na moda ultimamente. (Sim, existe um “modismo na tecnologia”, mas é uma moda legal, com ela podemos melhorar as experiências dos nossos usuários).

Fora o desafio tecnológico (Sim, não acredito que uma pessoa na área de TI aceite um job sem uma avaliação detalhada da proposta técnica do trabalho), uma grande sacada dessa oferta foi a possibilidade do home office, algo que para mim seria um sonho. Quem não sonha trabalhar de bermuda e chinelão no conforto da sua casa?

O mais interessante disso tudo, é que para a maioria das pessoas esse clichê de “bermuda + chinelo” é o que caracteriza que você não trabalha em casa, mas vive descansando e eventualmente faz alguma coisa no seu computador. Constantemente eu ouço:

“E ai? Só na boa?”

Essa vida que eu queria (com aquele velho sarcasmo…)

Trabalhar que é bom …. (com aquele sorriso maroto…)

NOOOSSSAAA, você trabalha em casa? Formata meu computador?

Obviamente que trabalhar em casa é bom, mas para que isso seja bom para você profissionalmente, quero dar algumas dicas que eu considero importante.

  • Cumpra diariamente a carga horária obrigatória em seu contrato (caso exista um);

Trabalho home-office não quer dizer que você não precisa cumprir horários, quer dizer que você não precisa ir a um escritório.

Com certeza você terá uma meta a alcançar, e você deve cumpri-la, é sua obrigação. É muito mais fácil você cumprir uma meta com uma organização de horários x compromissos pessoais.

  • Tenha um ambiente exclusivo para o trabalho;

Ambiente dedicado ao trabalho é tudo em um home office. Eu sempre tive um quarto dedicado aos meus estudos, agora, transformei ele em um escritório. Possuo um quadro branco fixado na parede para minhas anotações, uma mesa e uma cadeira bem confortáveis, um armário para guardar meus livros, um gaveteiro e um sofá para leitura.

Não consigo me imaginar trabalhando na sala próximo a televisão, ou na mesa da cozinha próximo a geladeira.

Um ambiente assim evita misturar um pouco o lado pessoal do lado profissional em sua residência, quando acaba o dia de trabalho, simplesmente apago a luz, fecho a porta e me desconecto do meu trabalho.

  • Esqueça o “Vou fazer isso depois”;

Ao menos para mim, isso é quase uma sentença de morte. Não existe o depois…

Depois eu vou ficar com minha esposa, Depois eu vou no mercado, Depois eu vou jantar, Depois eu vou assistir algo, Depois vou me dedicar a minha outra empresa, Depois eu vou me dedicar a minha nova start-up, enfim, Depois eu tenho outras coisas para fazer.

Trabalhar em casa não aumenta seu tempo, exceto o tempo que você gastava no deslocamento entre escritório e trabalho, sua vida continuará cheia de compromissos, e o depois poderá se tornar o seu pior inimigo.

  • Paciência com burocracias;

Vivemos no Brasil, e a burocracia é o segundo fator que mais atrapalha nosso país. Pessoal, vocês não fazem ideia como é chato ter empresa, é guias para pagamento, contador, banco.. Parece que tudo conspira contra a sua paz, você perde um tempo precioso com essas coisas, portanto, se prepare para ter dor de cabeça com coisas que você provavelmente não vai gostar.

  • Solidão;

Exato, solidão. No meu último emprego todos os dias estava envolvido com quase 50 pessoas que trabalhavam no projeto, em um ambiente de quase 500 funcionários, agora sou eu aqui, e o pessoal online no Hangout.

Sabe aquela conversa paralela no café sobre algo que você leu, uma dica bacana em algum blog, alguma discussão legal em algum fórum, etc? Pois é, isso fica mais difícil de acontecer. Você precisa saber lidar com isso se você é meio fã de uma rodinha de bate-papo. Se você for um sociopata, ok, tudo certo.

Quando sinto necessidade de uma socialização maior, eu utilizo um ambiente de co-working, ou vou trabalhar na sala da Previseme, uma empresa muito bacana (assunto para outro post) da qual sou sócio.

Enfim, acredito que esses são alguns detalhes que eu vivenciei nos últimos dois meses.

Recomendo o trabalho home-office? Sim e Não. Nem todas as pessoas conseguem trabalhar em casa, e também existem algumas funções (mesmo na área de TI) que não tem essa disponibilidade.

Eu estou bastante satisfeito com o trabalho home-office, acredito que estou me policiando bem nesses pontos de dificuldade para que não haja nenhum comprometimento com minhas entregas.

Estou trabalhando agora com um nome fantasia: MediaGlobe (ainda não temos um site), atuando em consultorias, treinamentos e terceirização de projetos envolvendo tecnologias como JavaEE, AngularJS, React e desenvolvimento móvel híbrido ou nativo (Android), caso precise de algo….

Enfim pessoal, espero que esse post ajude você na tomada da decisão de procurar ou não um trabalho home-office 😉

Um abraço

Share

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *